Encerrada primeira etapa da campanha de vacinação contra a Febre Aftosa no Maranhão

O último sábado, 30 de junho, foi o dia de encerramento da 1º etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa no Maranhão. Os criadores devem ficar atentos ao prazo de comprovação da vacina, que termina no dia 15 de julho, e deve ser feita com a apresentação da nota fiscal da compra no escritório da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) mais próxima da propriedade do criador.

Ao atestar a comprovação da vacinação, o funcionário da Aged faz a atualização do cadastro do produtor. A atualização é feita por meio de uma ficha, em que são preenchidos cerca de 120 campos do documento com informações do criador, da localização da propriedade e também do rebanho, tais como quantidade, classificação etária e sexo do animal.

Além de multa, o criador que não vacinar seu rebanho ficará impedido de movimentar seus animais para outros municípios, já que ele não pode retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA) na Aged.

É obrigatória a apresentação da GTA em feiras agropecuárias, barreiras sanitárias e em matadouros. A qualquer momento o documento é exigido também pelos fiscais da agência para o criador que estiver movimentando seus animais em qualquer localidade.

Primeira etapa
A 1ª Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa no Maranhão foi realizada do dia 1º a 30 de junho, conforme determinação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca (MAPA).

A previsão da Aged, órgão vinculado à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), é que tenha sido vacinado todo o rebanho de 7.272.822 de cabeças de bovídeos – sendo 7.194.459 bovinos e 78.363 bubalinos, formado predominantemente de pecuária de corte.

O secretário de Agricultura, Cláudio Azevedo, ressaltou a participação do criador maranhense na campanha de vacinação. “É importante que o criador faça seu papel e vacine seus animais. Precisamos manter os resultados positivos alcançados até o momento, para que o Maranhão seja classificado como zona livre da doença”, afirmou Cláudio Azevedo, informando que na última campanha o Maranhão bateu o recorde no índice de cobertura vacinal e imunizou 97% do rebanho.

Paralelo à campanha, está sendo realizado no estado o processo de sorologia de animais previamente determinados, visando garantir ao Maranhão o status sanitário de zona livre de febre aftosa com vacinação, que deve ser confirmado no segundo semestre deste ano. O gado escolhido para o processo de sorologia não será vacinado durante a primeira etapa da campanha.

O diretor geral da Aged, Fernando Lima, ressaltou que é fundamental a participação do criador maranhense durante todo o processo da sorologia e da vacinação. “Pedimos aos criadores que forneçam as informações corretas, não vendam e não movimentem seus animais durante a realização da sorologia e, claro, vacinem o gado que não estiver disponível para o processo de sorologia e coleta de amostras. Estes procedimentos são imprescindíveis para o avanço do status sanitário de livre de febre aftosa, com vacinação” explicou Fernando Lima.

Parceria
A campanha de vacinação realizada pela Sagrima e Aged conta com o apoio do Fundo de Desenvolvimento da Pecuária do Maranhão (Fundepc), Superintendência Federal da Agricultura (SFA), Federação dos Municípios do Maranhão (Faema), Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem) e Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Faema/Senar). (Com informações da Aged, Sagrima e Governo  do MA.)