Entrevista com o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Açailândia, Joaquim Ramos

Por Janaína Amorim/JM

Este ano a Exposição Agropecuária de Açailândia acontece de 4 a 12 de agosto e será aberta com a cavalgada. Na edição passada, 120 mil pessoas visitaram a feira e foram gerados cerca R$ 10 milhões em negócios. Para superar os números anteriores já estão ocorrendo modificações na estrutura física do Parque de Exposições José Egidio Quintal Filho. Dois corredores dos currais estão sendo calçados. O resultado será mais conforto aos visitantes. A grade de programação é outra atração: estão previstos leilões, competições e grandes shows. Confira os detalhes da Feira Agropecuária na entrevista com o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Açailândia (Sinpra), Joaquim Ramos Júnior (foto ao lado).

Há alguma novidade na V Expoaçai?
A nossa ideia é montar uma exposição, sem desmerecer as anteriores, mas sempre corrigindo os nossos erros e melhorando para agradar nossos parceiros e, principalmente, os produtores rurais, os expositores.

Quanto a estrutura, o que está sendo feito no Parque?
Nós conseguimos fazer a alimentação dos animais que estão na exposição e tentamos melhorar a estrutura do calçamento. A Prefeitura está calçando os dois corredores dos currais. A nossa ideia era que calçasse todos os currais, mas por enquanto não foi possível, então vamos calçar os dois. Os serviços já começaram.

O que isso representa para a pessoa que vem visitar o Parque?
Melhoria de estrutura, melhora a locomoção, diminui a poeira, traz mais conforto. Torna tudo mais prático.

Em relação aos eventos, já há algo programado?
Estamos com uma parceria com o Italo Todde e ele está trazendo três grandes shows, que são: Diante do Trono, Ma ria Cecília e Rodolfo e Mariozan Rocha. Nos dois dias que ficam para o Sinpra, que provavelmente vai ser na quarta e no domingo, a gente pretende trazer bandas da região, inclusive de portão aberto para o público participar mais. E também vamos ter rodeios e outros eventos, além de expositores de todas as regiões.

No ano passado foram gerados cerca de R$ 10 milhões em negócios. Qual a expectativa desse ano?
A gente espera que cada ano supere o outro. Mas sabemos que esse ano vamos ter alguma dificuldade diante do momento do boi, que está um pouco mais frio, mas vamos tentar superar. Conseguiram-se R$ 10 milhões, vamos tentar alcançar R$ 12 ou R$ 13 milhões. Mas, o importante é que a festa seja trabalhada com dinamismo e que ela agrade aos participantes.

Qual a importância da Exposição Agropecuária para Açailândia?
É de bastante importância, pelo fato de Açailândia ser o município com o maior rebanho de gado do Estado. A exposição está no 5º ano, demorou a começar, mas já é uma festa regional e a esperança é que a cada ano melhoremos.

Quais os avanços desde a realização da primeira feira?
Eu costumo dizer que cada uma a gente vem aprendendo. A primeira foi a ousadia do Quintal, a gente nunca tira esse mérito dele. De lá para cá tivemos tropeços, dificuldades, endividamentos, vários erros que fomos corrigindo a cada edição. Hoje temos mais credibilidade e bagagem, mas a primeira foi o marco fundamental.