Produtores criam centro de beneficiamento de grãos em Açailândia

Diego Leonardo Boaventura

Integração lavoura/pecuária, agregar valor à propriedade, reforma de pasto e aumento da produtividade por hectare. Foram esses fatores que motivaram alguns agricultores do sudoeste maranhense, principalmente, da região de Açailândia, a apostar no plantio do milho rotacionado com soja. Hoje, porém, o bom preço do grão tem entusiasmado os produtores que, somente nessa região do Estado, devem plantar 200 mil hectares de milho nesta safra, um aumento de 30% em relação a 2011. No Maranhão, o milho ocupa hoje 590 mil hectares de área plantada.

Seguindo essa linha de ampliação no cultivo está a Norte Grãos Agronegócios (NGA), localizada às margens da BR-010, em Açailândia. Com 1.000 hectares plantados de milho, a empresa investe para atuar na produção, colheita, armazenamento e comercialização de Grãos. Segundo o diretor da NGA, Levy Cangussu, o planejamento é que a cada ano a empresa amplie em 500 hectares a área plantada. “Em Açailândia nossa área de trabalho ficará em torno de 5.000 hectares no total. Esse ano foram investidos R$ 2 milhões no campo agrícola, na aquisição de maquinário, na limpeza diária e com insumos. Já na parte industrial, na compra de secadores de grãos, foram investidos mais R$ 3 milhões”, conta.

Estrutura NGA

Fundada em agosto de 2011 pelo grupo Agrosal e Fazenda Bola Branca, a NGA está construindo um centro de beneficiamento de grãos e armazenagem em Açailândia. “Nós vamos receber o grão in natura, ainda úmido e com resíduos, e o beneficiaremos – secando, limpando e armazenando. E no futuro iremos fazer um confinamento para engorda de gado”. Além de armazenar sua própria produção, a empresa vai terceirizar outras áreas agrícolas, podendo colher e guardar grãos de terceiros. Em 2012, o grupo só irá utilizar metade da sua capacidade de armazenamento. A estocagem total prevista será de 30 mil toneladas de grãos, com 160 toneladas por hora.

A indústria, localizada às margens da Rodovia Belém-Brasília, fica próxima à Ferrovia Norte-Sul, o que irá possibilitar a exportação de grãos em breve. De acordo com Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), houve um aumento de 24% na área plantada com milho no Maranhão nesse ano.