Projeto atende cavalos de carroças em Imperatriz

Diego Leonardo Boaventura

Um projeto acadêmico de extensão universitária busca unir a teoria, aprendida em sala de aula, com a prática, ao mesmo que contribui com a comunidade de Imperatriz. Intitulado “Sanidade animal de cavalos de carroça”, encabeçado pelo professor do curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Manoel Dantas, o projeto conscientiza carroceiros da região de Imperatriz e atende gratuitamente os animais que necessitam de cuidados médicos.

Segundo o carroceiro Francisco Divino Carneiro da Rocha, dono de 14 animais contemplados pelo programa, a universidade está mostrando serviço e vem contribuindo com a comunidade carente. “O projeto está fazendo um serviço muito bom, se fosse pagar só com meus animais iria gastar cerca de R$ 5 mil. Outro dia trouxe uma éguinha minha que parecia estar com anemia, mas quando cheguei aqui o doutor constatou que não havia anemia nenhuma, somente o sangue grosso. O doutor e os alunos passaram um soro, uns medicamentos e foi bom demais”, conta Divino, animado com a iniciativa.

Às terças-feiras os animais são submetidos a eletrocardiograma, com um aparelho de última geração, e também são realizados hemogramas e bioquímica de sangue. Além de ser avaliada a condição corpórea dos animais – o peso, altura, além de a capacidade de suporte dele. “O carroceiro sai com a informação do peso que deve transportar, ele coloca mais se quiser”, enfatiza o professor. Nas sextas-feiras, com os resultados dos exames em mãos, os alunos prescrevem a medicação.

Em parceria com Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), o projeto que existe desde 2005 atua com alunos bolsistas e também voluntários, que estão colocando em prática o ofício que escolheram. O professor ressalta que não é somente ele e sim uma equipe. “Eu tenho alunos aqui hoje que já são profissionais de mão cheia, saem para o campo, fazem cirurgias, clínica e vieram para cá sentir o que é a profissão. Isto aqui é uma residência, eu digo para eles que isso aqui é o SUS dos cavalos de carroça”.

A aluna do 8º período de Medicina Veterinária, Pâmela Rodrigues da Silva – bolsista do projeto – destaca a importância do trabalho e a experiência adquirida por meio da prática veterinária nos animais de carroça. “Todo o trabalho é feito para melhorar o estado de saúde desses animais de carroça que trabalham muito, um trabalho muito estressante por sinal. Nós fazemos todos os exames e damos também orientação de como alimentar o animal de forma barata. Aprender mais sobre exames sanguíneos e interpretar esses exames, avaliar cada caso de saúde dos animais foi o que me motivou a participar do projeto”, diz ela.

Para o professor Manoel Dantas, um dos grandes problemas encontrados nos cavalos de Imperatriz é o manejo inadequado, ou seja, alimentação errada e maus tratos. Na maioria das vezes nem é por ignorância do carroceiro, mas sim pela falta de conhecimento. “Todos os carroceiros que passaram por aqui saem com uma visão diferente, ele faz errado se quiser, mas saiu com uma visão de como deve cuidar do seu animal”, finaliza.