Sorologia no rebanho maranhense começa em abril

Diego Leonardo Boaventura

A seleção das propriedades maranhenses onde serão coletadas as amostras de sangue de bovinos e bubalinos para a sorologia será feita na segunda quinzena do mês de março. As amostras serão coletadas em abril e maio e enviadas no mês de junho para os laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O resultado da sorologia sairá ainda no mês de junho. Haverá ainda uma segunda fase, no mês de julho e agosto, com novas coletas de amostras de sangue.

Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Cláudio Azevedo, com o resultado favorável do inquérito epidemiológico, em meados do mês de outubro o Maranhão será reconhecido pelo Mapa como zona livre da doença. “O reconhecimento internacional está previsto para maio de 2013, pela Organização Internacional de Episotias (OIE)”, conta o secretário.

Rebanho

O Maranhão possui o segundo maior rebanho de bovinos do Nordeste e o terceiro maior rebanho de búfalos do Brasil, com cerca de 7,2 milhões de cabeças. Apesar do Estado não registrar nenhum caso da doença há cerca de 10 anos, atualmente o Estado só pode comercializar carne para outras regiões que possuem a mesma classificação sanitária que a sua, que é de zona de médio risco da doença, alcançada no ano de 2007.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão (Faema), José Hilton Coelho de Sousa ressaltou que com o gado livre da febre aftosa serão abertas as fronteiras nacionais e internacionais para o agronegócio e que a entidade representativa dos produtores rurais maranhenses tem sido uma importante parceira do governo na busca deste objetivo de estado livre de febre aftosa com vacinação. “O engajamento dos sindicatos rurais nas campanhas de combate à aftosa e a conscientização dos pequenos e médios criadores no trabalho de imunização do rebanho, são fatores importantes para essa conquista”, disse o presidente da Faema.

Cronograma

No cronograma elaborado pelo Governo Federal ficou definido que no início de 2012 a equipe do Mapa faria nova auditoria no Estado para checar os itens que deveriam ser melhorados, de acordo com a avaliação realizada no ano passado. Ainda segundo o cronograma definido pelo Ministério, cerca de 300 propriedades estão prestes a serem sorteadas para que seja realizada, entre os meses de abril e maio, a sorologia dos animais, que tem como objetivo provar a inexistência da circulação do vírus da aftosa no Maranhão.
A conclusão do relatório da sorologia está prevista para acontecer em meados de junho e a previsão é de que, caso seja confirmada a inexistência do vírus da aftosa no Maranhão, o Estado sejá classificado pelo Mapa como zona livre, em outubro deste ano.