Vale do Tocantins já abate 6 mil animais por mês

William Castro

Com as atividades reiniciadas em setembro de 2011, o Frigorífico Vale do Tocantins, hoje em parceria com um grupo de empresários de Recife (PE), tem abatido cerca de 320 animais por dia, o que totaliza média de 6 mil por mês. A maioria de sua produção de carne resfriada e congelada tem sido direcionada para Recife, a capital pernambucana, abrangendo em menor escala o mercado de Fortaleza com alguns subprodutos. O fornecimento de gado para abate é feito na maior parte pela região sul do Maranhão, o que contribuiu para a economia do município de Imperatriz, gerando renda e negócios.

Em entrevista para o Diário da Fazenda, o setor administrativo da empresa enfatiza que antes da reabertura do frigorífico foi realizado um estudo sobre a potencialidade do rebanho na região e que a produção de animais bovinos superou as expectativas dos investidores no mercado de pecuária no Maranhão. Açailândia, Itinga e Imperatriz são os principais polos no abastecimento de bovinos ao frigorífico, além de Cidelândia, São Francisco do Brejão, Senador La Roque, João Lisboa e municípios vizinhos. Além de rigorosos cuidados efetuados por uma equipe interna no controle de qualidade, a empresa possui controle sanitário dos seus produtos com Serviço de Inspeção Federal (SIF), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o que é garantia de qualidade aos consumidores.
Com a reabertura do frigorífico, foram gerados em torno de 180 empregos diretos e mais de 500 indiretos. A empresa possui hoje um cadastro de aproximadamente 300 pecuaristas para o fornecimento dos animais bovinos na região e, hoje, a arroba vem sendo negociada pelo frigorifico a R$ 89,00.